terça-feira, 28 de março de 2017

“O pior analfabeto é o analfabeto político”: uma conversa com Bertolt Brecht. Por Camila Nogueira


“Temam menos a morte do que a vida insuficiente”

Se nos perguntarem qual o texto pertencente a série “Conversas com Escritores Mortos” que, ao longo desses anos, mais nos marcou e mais fala ao leitor do DCM*, nossa escolha repousará muito provavelmente naquela com o dramaturgo, diretor e ativista social  alemão Bertolt Brecht (1898 – 1956). Os trechos que utilizamos constam em suas peças, poemas e tratados. A tradução foi feita pela autora da entrevista.
Herr Brecht, qual é a importância da consciência política?
Só podemos mudar a realidade quando somos instruídos por ela. Suponho que o pior dos analfabetos seja o analfabeto político.
É mesmo? Por quê?
O analfabeto político não se informa sobre política, não fala sobre política nem participa de eventos políticos. Ele não entende que o custo da vida, o preço do arroz, do peixe e da farinha, do aluguel, dos sapatos e dos remédios, tudo isso depende de decisões políticas. O analfabeto político é tão estúpido que é com orgulho que declara detestar política, sem sequer imaginar que é da ignorância de pessoas como ele que nascem os criminosos, as crianças abandonadas, as prostitutas e os políticos corruptos, lacaios de empresas multi-nacionais e nacionais.
Por falar em ladrões e em prostitutas, não posso deixar de pensar na Ópera dos Três Vinténs, um dos maiores sucessos de sua vasta obra teatral. O anti-herói do musical, Macheath, possui um código moral bastante questionável. O senhor simpatiza com ele?
O bastante para parafraseá-lo: “Não sei o que é pior: roubar um banco ou fundá-lo”.
Essa é uma verdade incontestável.
Tenho para mim que a única verdade de fato incontestável é que a vida é uma vagabunda e então você morre.
Que verdade pessimista. Pensar em morrer não é agradável.
A maior parte das pessoas teme a morte, e eu lhes diria uma única coisa – temam menos a morte do que a vida insuficiente.
Herr Brecht, uma de suas frases mais citadas é a seguinte: “Do rio que tudo arrasta, diz-se que é violento. Mas ninguém chama de violentas as margens que o comprimem”. Que margens são essas?
Uma delas é a justiça. A justiça é simples e solenemente feita para explorar aqueles que não a compreendem e aqueles que, em situação miserável, não podem obedecê-la.
E quanto aos juízes?
Muitos juízes são absolutamente incorruptíveis: ninguém jamais conseguirá os obrigar a fazer justiça.
Quais as medidas que o senhor pensa que devem ser tomadas para remediar essa situação?
A prioridade é sempre alimentar os pobres. Para quem está bem de vida, falar de comida é desimportante. O motivo é óbvio: eles já comeram. Algumas pessoas acham que têm a missão de purificar os pobres dos sete pecados, mas deveriam alimentá-los antes de dar início à pregação – caso contrário, que proclamem sua adorável filosofia, mas aguardem o pior. Primeiro vem a comida, depois a moral.
*Via http://www.diariodocentrodomundo.com.br

Santiago já recebeu R$ 8,6 milhões através da indicação do Deputado Marco Maia


Deputado Federal Marco Maia, do PT/RS


O deputado federal petista indica recursos da sua cota de emendas parlamentares, extra orçamentários e viabiliza projetos junto ao Governo Federal desde 2006.

Deputado Federal Marco Maia (PT/RS) já destinou para Santiago/RS seis emendas parlamentares da sua cota individual, que somam mais de R$ 600 mil. O parlamentar, ainda articulou junto ao Governo federal a liberação de R$ 8 milhões para investimentos na rede de esgoto do município (PAC – Funasa).

Para este ano, Marco Maia já recebeu novas demandas da cidade, e está trabalhando para viabilizar os novos projetos. Entre as realizações em Santiago, o deputado federal teve a oportunidade de contribuir com várias áreas básicas de um município, entre elas, a saúde. No ano de 2016, Marco Maia indicou R$ 100 mil para custeio e reformas da Rede de Atenção Básica de Saúde (Incremento PAB).

“Santiago é um importante município do nosso Rio Grande. É uma satisfação poder contribuir com o crescimento de Santiago e de sua gente. Dentro do possível buscamos sempre atender as demandas desta comunidade e região, como foi o caso desta última demanda intermediada pelo ex-vereador petista, companheiro Sérgio Marion, cujo valor já foi pago e está depositado nos cofres da Prefeitura de Santiago.

Aproveito ainda para informar que, desde meados deste mês, reforçamos a intervenção do nosso mandato em Santiago e Região com a participação do companheiro Júlio Garcia, advogado e um dos fundadores do PT, que aceitou nosso convite e está representando nosso mandato nessa importante região do nosso estado", finalizou o Deputado Marco Maia.

Júlio Garcia com o  Deputado Marco Maia

*Por Amanda Alice Fernandes Miguel - Jornalista -  Assessoria de Comunicação do Deputado Federal MARCO MAIA

A UMES* EM CONSTRUÇÃO!




*UMES - UNIÃO MUNICIPAL DE ESTUDANTES SANTIAGUENSES

segunda-feira, 27 de março de 2017

Neto de Jango ingressa no PT/RS


P1160623
Em uma cerimônia simples, mas de densidade simbólica elevada, o neto do ex-presidente Jango Goulart, João Goulart Neto, de 37 anos, filiou-se ao PT gaúcho, na manhã de hoje (27), na sede em Porto Alegre.
O ato, com a presença do presidente de honra do partido, Olívio Dutra, sucedeu uma reunião de trabalho da executiva estadual que ocorre às segunda-feira e que o novo filiado acompanhou desde o início.
Olívio deu-lhe as boas- vindas salientando que o momento político do pais é gravíssimo e que Jango Neto chega ao PT para compartilhar responsabilidades da proposta coletiva da esquerda, do socialismo e da democracia.
Já o presidente do PT/RS, Ary Vanazzi, afirmou que Jango Neto contribui para a estratégia partidária de agregar bons quadros políticos para fortalecer o PT.
O presidente do diretório da capital gaúcha, Rodrigo Oliveira, ressaltou a importância da compatibilização do símbolo do passado com a projeção de futuro que a presença do jovem neto de João Goulart representa para o PT.
Saudado pelos companheiros, Neto disse que o evento era de muita felicidade porque acalentava o sonho da filiação há muito tempo e também porque a data coincidia com o marco de dois meses de vida do seu primeiro filho, Gael. Ainda destacou a semelhança do cenário político atual com o ambiente do golpe de 1964 que derrubou e exilou seu avô, que só voltou ao Brasil depois de morto, em 1976. “Tomei as dores do PT em 2014 vendo a disseminação da prática da mesma anti-política de 64”, contou ele, que possui formação técnica como publicitário e não tinha militância orgânica no PDT como seus familiares. “O ideário e o legado do Jango transcendem os partidos”.
Participaram da solenidade, além dos dirigentes do partido, o ex-prefeito Raul Pont e o deputado estadual Adão Villaverde, além do escritor Cássio Moreira, autor de “O Projeto de Nação do Governo João Goulart: o Plano Trienal e as Reformas de Base (1961-1964)”, que não é filiado à sigla.
Citado como o principal incentivador da filiação de Jango Neto ao PT, o escritor acentuou as qualidades pessoais do amigo e definiu o PT como “um partido que é trabalhista na prática e que, por isso, tem afinidade maior com o neto do ex-presidente que tem um forte viés social, como o avô tinha”.
*Via portal.ptrs.org.br

Centrais sindicais anunciam greve geral dia 28/04


A notícia deste início de semana é a nota à imprensa divulgada após reunião das principais centrais sindicais do país. O recado está dado. É povo na rua, é greve geral! Contudo, a Frente Brasil Popular reforça o chamamento à sociedade para a paralisação do dia 31 de março com objetivo de acumular forças para a greve.
Nota à imprensa
Reunidos na tarde desta segunda-feira (27), na sede nacional da União Geral dos Trabalhadores (UGT), em São Paulo, os presidentes das centrais sindicais, dirigentes sindicais analisaram a grave situação política, social e econômica que o país atravessa e decidiram que:
Dia 28 de abril
Vamos parar o Brasil

As centrais sindicais conclamam seus sindicatos filiados para, no dia 28 {de abril}, convocar os trabalhadores a paralisarem suas atividades, como alerta ao governo de que a sociedade e a classe trabalhadora não aceitarão as propostas de reformas da Previdência, Trabalhista e o projeto de Terceirização aprovado pela Câmara, que o governo Temer quer impor ao País.
Em nossa opinião, trata-se do desmonte da Previdência Pública e da retirada dos direitos trabalhistas garantidos pela CLT.
Por isso, conclamamos todos, neste dia, a demonstrarem o seu descontentamento, ajudando a paralisar o Brasil.
São Paulo, 27 de março de 2017.
Adilson Araújo
Presidente da CTB
Antonio Neto
Presidente da CSB
José Calixto Ramos
Presidente da Nova Central
Paulo Pereira da Silva (Paulinho)
Presidente da Força Sindical
Ricardo Patah
Presidente da UGT
Vagner Freitas
Presidente da CUT
Edson Carneiro (Índio)
Secretário Geral Intersindical
Luiz Carlos Prates (Mancha)
Presidente da CSP-Conlutas
Ubiraci Dantas de Oliveira (Bira)
Presidente da CGTB

*Via http://wadihdamous.com.br

EXECUTIVA MUNICIPAL DO PT SANTIAGUENSE FARÁ REUNIÃO EXTRAORDINÁRIA AMANHÃ, 28/03




O Partido dos Trabalhadores de Santiago (PT) realizará na tarde desta terça-feira, 28/03, Reunião Extraordinária de sua Comissão Executiva Municipal (ampliada).

A Reunião está prevista para começar às 18 horas e será  realizada na Associação dos Inativos da BM (Greminho), no Bairro Maria Alice Gomes. Na pauta: 1- Processo de Eleições Diretas (PED) e Apresentação da Chapa Unitária para compor a próxima Direção Municipal; 2- Conjuntura; 3- Assuntos Gerais.

-Além dos dirigentes petistas, todos(as)  - filiados e simpatizantes - estão convidados para participarem dessa importante Reunião!


Secretaria de Comunicação do PT/Santiago-RS

O BOLO EMBATUMOU: NÃO VALE MAIS A PENA ESTIGMATIZAR OS "COXINHAS"




Depois do fiasco das manifestações deste domingo (26), arrisco um palpite: a conjuntura parece estar mudando. Neste cenário, é importante parar de estigmatizar os chamados "coxinhas". Boa parte deles pode mudar de lado, na dinâmica da luta política.
Não é ingenuidade. Explico.
A possível virada dos ventos deve ser entendida pelo conjunto de uma obra que veio a público há menos de quinze dias. As manifestações nacionais contra a reforma da Previdência - essas sim, de êxito retumbante! - na semana anterior e o aluvião humano que cercou Lula em Monteiro (PB), no domingo (19), mostram que gente há anos ausente das ruas decidiu deixar a passividade de lado.
Mesmo em redutos exclusivos da classe média remediada, como o Lollapalooza, as manifestações em favor do ex-presidente acendem uma luz amarela para o Planalto.
Some-se a isso a aparente vitória de Pirro que representou a aprovação da terceirização, na noite da quarta (22). Ali, a arrogância e a soberba dos dirigentes da base governista chegou ao auge. Avaliaram poder aprovar qualquer barbaridade "sem conversar com ninguém", como declarou há dias o inimitável Romero Jucá.
A ação parlamentar do golpe pode ter batido no teto. Caiu substancialmente o número de deputados favoráveis às reformas. Eram 359 governistas na aprovação da PEC 241/55, em outubro. Agora, apenas 231 parlamentares apertaram o "sim" da terceirização.
A violência da medida é tão grande e suas consequências no desarranjo da convivência social são tão devastadoras que até o capital hesita sobre o passo seguinte. Editoriais e reportagens da imprensa econômica registram essa ambiguidade.
Como diz Artur Araújo , caiu a ficha da classe média. Michel Temer lhe aplicou um tremendo estelionato político, ao garantir que o pós-PT geraria tempos de bonança e felicidade. O golpista não aprendeu nada com o estelionato eleitoral de Dilma, em 2014; o povo não gosta de se sentir enganado.
É bem provável que a massa que acorreu às ruas há um ano, vestida de verde e amarelo e seguindo patos e lobões, agora esteja amuada e arrependida até os dentes pelo inferno que ajudou a montar. Bobamente serviu de massa de manobra para um governo que lhe retira a aposentadoria e tolhe a possibilidade de ascensão social de sua prole, via fim dos concursos públicos.
Com a base social do golpe paralisada, me parece que a pior viagem é seguir estigmatizando os "coxinhas". Cobrar deles uma conta que não podem pagar pode desopilar o fígado da esquerda, mas não serve para atrair possíveis participações na luta, ou pelo menos para se reduzir resistências e ruídos das forças antipopulares
Esse setor de classe média pode ser atraído ou permanecer neutro nas movimentações contra as reformas. Boa parte pode mudar de lado, a depender da dinâmica da - desculpem - luta de classes. Não se fala aqui da cúpula fascista dos movimentos (MBL, VPR etc.), mas no enorme contingente que envergou camisa da seleção depois da Copa do mundo.
Assim, não vale a pena seguir com a toada de "E agora coxinhas?", "Quero ver a cara de vocês" e "Enfiem a panela sabem onde".
Atrair o coxinhato para as mobilizações é essencial para derrotar a patranha golpista. Não é algo fora de propósito.
A conjuntura é sempre uma caixinha de surpresas.

*Por Gilberto Maringoni - jornalista (via face) - Foto: Viomundo